Advertisements

Avança a proposta de transformar clubes em empresas no Brasil

Histórico e perspectivas dos “clubes-empresas” do Brasil | by Jean Costa | Medium

Ontem, num webinar promovido pela AASP (Associação dos Advogados de São Paulo), o senador Carlos Portinho (PL-RJ), relator do Projeto que objetiva transformar clubes em empresas, esclareceu pontos importantes da proposta, que deve ser finalizada até a metade do ano.

Um deles é a alteração do texto anterior que previa, em caso de falência de uma agremiação, a separação de sua marca, impedindo que fosse juntada em eventual leilão.

Portinho disse que não há como retirar dos credores a possibilidade de ressarcimento do principal ativo do devedor.

Ou seja, se fechar as portas, outros investidores deverão comprar a marca e dar sequência ao clube.

A CBF, segundo o Senador, estaria aberta à mudança, embora, por razões conhecidas, é sempre bom não apostar no que diz a cartolagem nacional.

Outra modificação relevante é a inclusão do passivo da agremiação na transformação em empresa, ou seja, quem investir comprará o produto no exato estado em que se encontra.

Pela proposta original, a empresa seria criada numa espécie de nova contabilidade, com as dívidas anteriores sendo pagas de acordo com os acertos e condições pretéritas inerentes a um clube, supostamente, sem fins lucrativos.

A adesão ao ‘clube-empresa’ será facultativa, mas, é pouco provável que as equipes mais relevantes fiquem de fora.

Apesar de que, em alguns casos, principalmente em sistemas feudais, como o do Corinthians, haverá briga de foice para retirar a mamata dos que sobrevivem do clube sem fiscalizações, nem punições relevantes.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: