Renovação de Jailson é mais um erro de Maurício Galiotte

Boa praça, profissional dedicado, Jailson soube agarrar a chance de, quase ao final de uma carreira, até então, inexpressiva tornar-se fundamental numa importante conquista do Palmeiras, justificando sua estranhíssima contratação.

Jogou como nunca, literalmente.

Hoje em dia, querido pelo torcida, trata-se de um bom reserva, apenas isso.

Nada que justifique uma renovação de contrato, aos 39 anos de idade.

Por diversas razões.

A principal delas: sua presença no banco de reservas atrasará a maturação dos goleiros das categorias de base que terão seus lugares ocupados pelo veterano.

Seria bem melhor para o clube, e não ruim para Jailson, se o objetivo é o de reconhecer seus préstimos ao Verdão, que fosse lhe dada a opção de encerrar a carreira com a imediata incorporação no quadro de funcionários, ambiente em que poderia servir de exemplo aos que sonham com um lugar ao sol no futebol.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.