Advertisements
Anúncios

Destino do “Esporte Interativo” era previsível

Resultado de imagem para esporte interativo

No DNA do canal Esporte Interativo, que, ontem, fechou as portas para a TV aberta e irá figurar, daqui por diante, em espaços – não se sabe quais, cedidos pela TNT e Space (canais do grupo Turner), antes de ser negociado com os americanos, esteve sempre presente a ideia de dar pouca importância ao jornalismo.

O antigo dono da emissora, em conversa com o amigo Xico Malta, quando este ainda integrava a equipe da rádio MidiaCast (hoje é dono da Central 3), deixou claro: “não me importo com a qualidade, em fazer jornalismo, apenas em ganhar dinheiro”.

A resposta se deu a questionamento sobre as razões de ter contratado Jorge Kajuru, notório mentiroso da profissão.

Foi nesse contexto, de ter criado uma audiência mais alienada, um tanto quanto desqualificada, que a Turner interessou-se pelo negócio, acreditando que poderia, pelo fato de figurar em TV aberta no Brasil, aglutinar audiência de quem não poderia pagar a opção a cabo e possuía menos filtro para aceitar as atrações do canal.

Com dinheiro em caixa – os americanos investiram para encorpar a emissora, o Esporte Interativo passou, então, a sonhar com não só com a disputa pelos direitos dos principais campeonatos do planeta, mas também os tupiniquins – entre os quais o Brasileiro, em negociação pela qual meteu os pés pelas mãos, inflacionando o mercado, ocultando vantagens ao Palmeiras (pagando mais ao clube quando havia prometido igualdade aos demais clubes).

Por conta do comportamento pouco equilibrado do EI, seja na grade de programação quanto no departamento comercial, os clubes mais relevantes do país – comercialmente falando, mesmo tendo propostas financeiras menos avolumadas, decidiram manter-se em solo seguro, assinando com a Rede Globo.

Eis aí o tiro no pé da emissora: não há como sustentar uma operação desse porte sem ter em seu “elenco” Corinthians, Flamengo e São Paulo.

O erro foi fatal, afugentando anunciantes.

A pá de cal foi o desempenho pífio dos programas do EI durante o período de Copa do Mundo, justamente quando a Turner decidiu interpelar os executivos da emissora, que, em vez de confirmarem as promessas de crescimento, apresentaram prejuízo – sem perspectiva de recuperação.

Negociadores natos, os americanos nem pensaram muito para roer a corda, mas, decentemente, anunciaram a manutenção dos acordos comerciais – apesar de deficitários, honrando ainda com os encargos trabalhistas, além de compensações não obrigatórias, aos mais de 100 jornalistas demitidos – esta sim, apesar do amparo da empresa, uma situação lamentável, ainda mais em tempos de limitações de vagas no mercado.

Com a bomba da notícia repercutindo durante todo o dia, parte dos clubes que assinaram com o EI a cessão dos direitos de transmissão do Brasileirão, enxergaram a loucura cometida e já falam em romper o acordo, atitude esta que, ao que parece, beneficiaria todas as partes: as agremiações, porque ainda há tempo de bater na porta da Globo – embora seja pouco provável que as condições de negociação sejam mais favoráveis do que as anteriores, e o canal, que pode ter que arcar, ou não, com alguma multa rescisória, mas economizará na criação de um sistema oneroso de cobertura esportiva, desde já fadado ao fracasso comercial.

A grande verdade é que o Esporte Interativo somente era assistido quando exibia algum jogo que não passava noutro canal, ou seja, não por opção, mas por falta dela.

De todos os programas, talvez o único que deixe alguma saudade será o que era apresentado pelo galinho Zico, um oásis de qualidade na pouco exigente editoria da emissora.

Tomara que agora, recomeçando na internet – apesar do anúncio, é pequena a probabilidade do EI ser tratado com prioridade nos espaços da TNT e Space – o canal se reinvente como alternativa de bom jornalismo, única maneira de adquirir a relevância necessária para retornar à posição que detinha na televisão brasileira.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

1 comentário sobre “Destino do “Esporte Interativo” era previsível

  1. Me explique a diferença deles para o fox com o escrotão do benja, ou o sportv?
    Algo decente por aqui esta difícil, a espn não assisto desde a compra da Sky pela Directv…
    Me diga onde tem algum programação decente que eu vou assistir, pq o que vejo é a puxação descarada de saco de dois times e o resto é resto!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: