Advertisements

Em boa hora

Resultado de imagem para bolsonaro charge

Da FOLHA

Por JÂNIO DE FREITAS

Teor do documento da CIA não muda só os papéis alardeados dos ditadores

Ter alguém como Bolsonaro recebendo o maior apoio para exercer a Presidência, segundo as pesquisas sem Lula, dá a mais concentrada resposta às perguntas sobre o indescritível desastre brasileiro. Apoio a alguém sem preparo, retrógrado, com bens acumulados sem explicação e defensor da ditadura em suas piores violências, enquanto sondagens mostram também tais apoiadores indignados com as sucessivas exibições das roubalheiras engravatadas, da ferocidade em sandálias e da degradação na política.

Nesse quadro, é oportuna a revelação documental da CIA, o órgão americano para a espionagem e a subversão de direita, da responsabilidade direta dos generais-presidentes Geisel, Médici e Figueiredo, como autorizadores, nos assassinatos e desaparecimentos de centenas de opositores da ditadura. Localizado pelo pesquisador Matias Spektor, da FGV, o documento é de extrema importância. Não por Bolsonaro, que é apenas um germe, não único, deixado por aquela infecção de 21 anos. O que explica sua ideia de que assassinatos e desaparecimentos equivalem a “um tapa no bumbum de um filho”.

O teor do documento não muda só os papéis alardeados dos ditadores, sobretudo o atribuído a Geisel. Corrige as dimensões da ditadura, expondo-a não mais como um regime de força arbitrária, impulsionado no choque de correntes militares menos e mais extremadas, mas, isto sim, como regime unificado por sua essência comprometida com o extermínio humano. Guardadas as devidas proporções, bastante semelhança com o poder ao tempo do falso socialismo no Leste Europeu.

Já na primeira fase de governo do udenista Castello Branco, o “general democrata” que instalou a ditadura, Geisel proporcionou uma indicação clara sobre si mesmo. As denúncias de torturas no imediato pós-golpe, as piores nas dependências da Marinha e da Vila Militar, no Rio, como em Pernambuco e Rio Grande do Sul, fizeram Castello incumbir Geisel, seu chefe da Casa Militar, de uma investigação geral. Era, claro, só um mascaramento da realidade. Mas a desfaçatez de Geisel não teve nem habilidade. Com a tortura sabida e comentada no país todo, seu relatório negou haver ao menos um casinho de arranhões, só para encontrar algum “excesso”. Como resultado prático, era o aviso de que o novo regime não repelia a violência, nem lhe estabelecia limites.

O documento da CIA fundamenta a convicção, contestada por muitos, de que fatos como o atentado do Riocentro não eram de insubordinação, mas de obediência. Daí que Figueiredo, antes de saber direito do que se tratava, prometesse “prender e arrebentar” os envolvidos, e depois lhes desse cobertura. O assassinato de Lídia Monteiro, secretária da OAB, o alegado desastre de Zuzu Angel, tantos crimes polêmicos encontram agora um rastro retroativo e inquestionável, até seu ponto de partida.

É a isto que Jair Bolsonaro defende. É a isto que o general Antônio Mourão defende, puxando a lista dos companheiros que pretendem entrar na política. Suas defesas não são à ditadura como descrita até conhecer-se o documento da CIA, surgido quando alguns inquietam com a quebra do seu devido silêncio.

Advertisements

Facebook Comments

11 Responses to “Em boa hora”

  1. Andre Says:

    Hahaha o desespero de saber que o Bolsonaro esta quase eleito fica cada dia mais evidente nos vagabundos de plantão! Sabem que a mamata vai acabar! Os que vivem as custas de fake news terão que trabalhar, e pior, direito! Me divirto com o desespero alheio!

  2. Alessandro H.R. Says:

    busquem o histórico desse Jânio de Freitas e saberão que tipo de gente ele defende

    volto a repetir, quem ovaciona ditaduras comunistas que matou mais de 100 milhões de pessoas, e figuras como Fidel Castro, che quer vara, e outras personalidades desse nível, não tem moral alguma pra criticar, nem um pardal em cima de uma árvore quando caga no capô do seu carro.

    risíveis !!

    #bolsonaropresidente2018

  3. Alan Cézar (@EUABSOLUTIS) Says:

    Qualquer tipo de ditadura é uma merda.

    Os apoiadores da ditadura militar no Brasil, pensam exatamente como pensam os que defendem a ditadura cubana. Lá era tudo para derrubar o “Fudêncio”, mas depois que derrubaram, continuaram matando, e fazendo o diabo com os contrários. Aqui era para não ter tipinhos como Fidel e fizeram o que fizeram!!!

    Pergunto aos apoiadores da famigerada ditadura cubana:
    1 – o que acontecerá com um cubano qualquer que, com um carro de som parado em frente ao parlamento, chame de canalhas e de vagabundos os que lá dentro estão?

    2 – os cubanos podem viajar livremente para onde quiser e bem entender apenas com um passaporte sem precisar justificar a viagem?

    3 – qual o endereço da anistia Internacional em cuba?

    4 – quantos matou o Ustra aqui e quantos matou o Chê por lá? Nem pergunto quantos cada ditadura matou e torturou, pois a cubana é de longe a vencedora, para não aumentar o desespero do perdido defensor daquele lixo que é a ditadura cubana.

    Toda vez que faço essa pergunta os risíveis ficam desesperados e começam a falar da educação e da saúde cubana. Eu quero liberdade, com liberdade eu dou um jeito em minha educação e minha saúde.

    Só rindo deses risíveis adoradores da ditadura que a eles convém!!

    Eu, como não gosto de nenhuma, fico tranquilo para falar de ambas, sem defender nenhuma.

    O duro é que, os cheios de estudos, com formação acadêmica espetacular conseguem fechar os olhos para o paredão, para a matança desenfreada em nome de algo que a apenas os chefes interessa até hoje, os vários presos políticos que ainda existem por lá. Tenho dó desses sujeitinhos!!!

    Eles tem a cara de pau de reclamar dos que defendem a ditadura militar brasileira, mas tem a desfaçatez de defender a ditadura cubana. São risíveis ao extremo!!!

    Eita povinho estranho, mas RISÍVEL demais!!!

  4. Alessandro H.R. Says:

    Alan Cézar (@EUABSOLUTIS) Says:
    Maio 13, 2018 at 9:28 pm

    parabéns pelo comentário, penso igual, nenhuma ditadura seja qual for é boa, claro que tem umas piores que outras, mas no geral nenhuma faz bem, e abomino as mortes que infelizmente houveram em nossa ditadura, poucas comparadas com outras, mas houve excessos, mas o nosso regime militar foi a que menos matou em toda história humana das ditaduras que houve, claro que as mortes não justifica,, mas foi a mais fraquinha pra justificar tanto barulho dessa gentinha, que faz VISTA GROSSA com as ditaduras que eles ovacionam!

    é isso que me impressiona nesse tipo de gentinha, a hipocrisia e o cinismo como esse tal de Jânio Freitas, que se cala, ou melhor, idolatra ditadores sanguinários que matou milhares de civis inocentes que pensava diferente dele, mas incita o ódio e manipula a nossa história brasileira, como se o nosso regime militar tivesse sido a pior da história humana.

    essa gentinha não tem moral alguma, tem que ser tratados como doentes irracionais.

  5. Alessandro H.R. Says:

    E o Bolsonaro pra quem acompanha as entrevistas dele, ele mesmo já reconheceu que houve excessos no nosso regime militar. Quando ele defendeu o Coronel Ustra (nessa parte eu não concordo com ele) ele está apenas seguindo os rigores das investigações oficiais, que não encontraram nenhum documento que incriminasse o coronel Ustra, que foi condenado pq na sentença ficou reconhecido que na qualidade de chefe do DOI-CODI de SP, ele tinha obrigação de saber oq acontecia lá dentro, na qual eu concordo, pois sigo os mesmos critérios da condenação do luLADRÃO.

    O Bolsonaro deveria ter ficado calado sobre esse episódio, mas eu entendo ele apesar de discordar, ele é militar e está sendo corporativista defendendo sua classe, como vejo jornalistas fazendo o mesmo em relação a sua muita vezes, e mais, o Bolsonaro tbm exige que a LEI da ANISTIA tem que prevalecer, independente do resultado final, pois a lei está sendo descumprida nessa mentirada que foi a comissão da verdade, onde só se investigou os excessos de um lado, e não os atos de terrorismos dos “anjinhos ideológicos” da esquerda ficaram impunes, portanto a LEI foi DESCUMPRIDA duas vezes, eae como é que fica ? As leis não são feitas para ser cumpridas ?

    Qual regime militar em toda história humana se abdicou do poder e devolveu o poder aos civis, e convocou eleições diretas ? Respondo, a brasileira, podem falar mal oq quiser esses militantes esquerdopatas disfarçados de jornalistas e professores de história, mas quem se abdicou do poder foram os militares brasileiros, eu posso estar enganado, mas acredito que não existe isso em nenhuma parte do mundo, onde militares devolveram o poder aos civis sem derramamento de sangue, e guerra civil.

    aquela histórinha contada pelo seu professor esquerdopata de história que ele “lutou” por liberdade no Brasil, é a mais pura MENTIRA!! Ele lutou é pra fazer terrorismo e baderna para impor seus ideais, e instalar um regime muito, mas, muito mais autoritário e sanguinário do que foi o regime militar brasileiro.

  6. Alessandro H.R. Says:

    Assistam até o final o vídeo abaixo se querem ver o outro lado, e cada um tira suas conclusões que achar melhor

  7. Alessandro H.R. Says:

    outro video muito bom com a participação do Dom Luiz Philippe, é mais longo mas vale a pena assistir.

  8. Alessandro H.R. Says:

    E esse vídeo aqui pra quem gosta de uma AULA DE HISTÓRIA, conta de forma resumida o governo Geisel

  9. Alan Cézar (@EUABSOLUTIS) Says:

    Alessandro H.R. Says:
    Maio 14, 2018 at 2:46 am

    Parabéns pelos vídeos, ajuda a pensar e a ver o outro lado que a esquerdinha aninhada com a direita enquanto governavam, não tem a menor condição de entender.

    A visão obtusa dos esquerdotubbies beira a imbecilidade. Fico triste quando vejo gente com a formação que citei e que são formadores de opinião.

    Os sujeitos criticam “deus e o diabo”, mas se “deu ou o diabo” noticiam ou falam o a eles agrada, “deus e o diabo” são espetaculares, ou seja, que tipo de gente vive em um mundo assim? Só os que tem como sua base de vida a mentira.

    Eu não acredito por acreditar e não desacredito por desacreditar. Vou crer em algo que seja verdadeiro, mesmo que a mim seja dolorido. A verdade acima de tudo.

  10. Alessandro H.R. Says:

    Alan Cézar (@EUABSOLUTIS) Says:
    Maio 14, 2018 at 1:17 pm

    “Eu não acredito por acreditar e não desacredito por desacreditar. Vou crer em algo que seja verdadeiro, mesmo que a mim seja dolorido. A verdade acima de tudo.

  11. Alessandro H.R. Says:

    Alan Cézar (@EUABSOLUTIS) Says:
    Maio 14, 2018 at 1:17 pm

    “Eu não acredito por acreditar e não desacredito por desacreditar. Vou crer em algo que seja verdadeiro, mesmo que a mim seja dolorido. A verdade acima de tudo.”

    sim, estou de pleno acordo contigo, por isso que postei os vídeos acima, não quero mudar a ideia de ninguém, só quis mostrar o outro lado e cada um tira suas conclusões

    não há santos de nenhum lado, quero deixar isso bem claro, não acho os militares brasileiros santinhos, como tbm não acho o Bolsonaro o salvador da pátria, e que ele não tem um lado xucrão, mas acredito na honestidade e na sua franqueza, mesmo que algumas de suas ideias não estejam de acordos com a minha, pois já dizia o poeta, “toda unanimidade é burra”

    Jamais devemos idolatrar políticos, temos que confiar, desconfiando, acreditar, desacreditando, exatamente como vc mencionou no seu último parágrafo, por isso mais uma vez lhe parabenizo

    abs.

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: