Advertisements
Anúncios

Entre refugos e vitórias, Baloubet Du Rouet será lembrado por muito tempo

Pessoa e Baloubet, na prova olímpica de Sydney-2000

Da FOLHA

Por EDGARD ALVES

O legendário Baloubet Du Rouet partiu para sempre, aos 28 anos. Mesmo assim, suas façanhas e tropeços serão citados por muito tempo. Lembram-se dele? Foi o cavalo que refugou na disputa da medalha de ouro na Olimpíada de Sydney-2000 e quatro anos depois deu a volta por cima, reconquistando o prestígio nos Jogos de Atenas.

É difícil encontrar um brasileiro que tenha vivenciado aqueles tempos e não se recorde do garanhão francês. Montado pelo cavaleiro Rodrigo Pessoa, o conjunto integrou a equipe de saltos do Brasil, bronze na Austrália.

No torneio individual daqueles Jogos era apontado como o favorito, um ouro inédito almejado pelos torcedores brasileiros. Mas na hora decisiva o cavalo cometeu uma falta e depois empacou em outro obstáculo, provocando a eliminação.

A cena virou piada, um carimbo de voto de desconfiança. O conjunto, porém, persistiu na luta e limpou a sua imagem em Atenas. Ganhou a prata, também uma glória olímpica. Assim saiu na foto da entrega das medalhas.

Entretanto, passados cerca de sete meses, a prata virou ouro. Isto porque os exames de controle do cavalo Waterfor Cristal, o vencedor, montado pelo irlandês Cian O’Connor, apontaram que o animal havia competido dopado. O ouro passou para o time brasileiro.

Baloubet morreu neste agosto, em Portugal. Mas deixou muitos descendentes. Aposentado, na última década o cavalo seguiu como um dos maiores reprodutores do mundo.

Durante a Olimpíada do Rio esta Folha revelou que duas filhas e um neto de Baloubet foram titulares naqueles Jogos. Uma foi a égua Sydney Une Prince, montada pelo francês Roger-Yves Bost; outro, o neto First Class (filho de Balou du Rouet, que chegou ao sétimo posto no ranking mundial de saltos), com o alemão Daniel Deusser.

E completando: a égua Bonne Chance CW, da suíça Janika Sprunger. Esta amazona foi proprietária de outro filho de Baloubet, o Palloubet d’Halong, e vendeu o cavalo por US$ 11 milhões em 2013 para a federação do Catar. O animal vendido esteve no Rio, como reserva.

Com Baloubet, Rodrigo Pessoa teve destacada participação em torneios e, em especial, na Copa do Mundo, na qual conquistou o tricampeonato (98/99/2000). Baloubet competiu até os 17 anos e foi aposentado em 2006.

Nelson, o Neco, ex-cavaleiro e há anos treinador, e o filho Rodrigo receberam Baloubet com cinco anos. A família Pessoa vive na Bélgica, onde mantém um centro de treinamento de animais para competição.

No livro “Você Será um Cavaleiro, Meu Filho”, de autoria de Sabrine Delaveau, que aborda a saga Pessoa, despontam revelações curiosas.

Rodrigo destaca que amava em Baloubet o sentimento de invencibilidade, pois ele tinha mais facilidades do que os outros. “Mas não me liguei a ele, pois ele me traiu várias vezes. Nós dois conhecemos grandes desilusões juntos e, quando ele faltou comigo, foi em momentos importantes e de uma maneira irrevogável”.

E o desabafo não para. “Seu proprietário (de Baloubet), Diogo Coutinho (de origem portuguesa), contribuiu para estragar nossa história… Esse homem era tão duro, ofensivo e irritante, que não merecia um campeão desse porte, e é verdade que, às vezes, lamentei que Baloubet não fosse um mau cavalo.”

As confidências de amor e ódio nas relações envolvendo Baloubet no livro de Delaveau são picantes. Antes dessa publicação, via mídia em geral, prevalecia mais o lado da cumplicidade do conjunto, da parceria.

Apesar dessas revelações, um pouco tardias é verdade, eu sempre admirei Baloubet. Não torci, mas acompanhei tenso e atento as disputas em Sydney e Atenas. Afinal, estava na cobertura pela Folha, e tanto o sucesso como o fracasso da delegação do Brasil em eventos daquele porte significavam muito trabalho.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: