Anúncios

Archive for 3 de março de 2017

Conflito de Interesses complica ex-diretor de finanças no Corinthians

março 3, 2017

raul-correa-da-silva

O ex-diretor de finanças do Corinthians, Raul Corrêa da Silva, assinou dois contratos de trabalho, pouco tempo depois de sua saída do cargo, com empresas geridas pela construtora Odebrecht, que mantém litígio com o clube por conta da obra do estádio em Itaquera.

É evidente o conflito de interesses.

Agravado pelo fato do ex-dirigente ter aceitado convite do ex-presidente Andres Sanches, em janeiro deste ano, concomitantemente à vigência dos acordos citados (o parecer da BDO sobre uma das empresas é datado de 11 de janeiro de 2017), para retornar à diretoria do clube, que somente não se ratificou por questões políticas.

Este é o pensamento de boa parte dos conselheiros alvinegros, que deverão interpelá-lo nos próximos dias.

Para saber mais sobre o assunto (com provas documentais) basta clicar no link a seguir:

https://blogdopaulinho.com.br/2017/03/01/r-5-milhoes-ex-diretor-de-financas-do-corinthians-teria-recebido-agrados-da-odebrecht/

Os problemas de Corrêa e sua BDO/RCS, porém, não devem se ater apenas ao ambiente do Parque São Jorge: ontem, a CVM e o Conselho Federal de Contabilidade foram informados, e devem instaurar investigações, sobre desvios de conduta do contador.

Diz o NBC P1 – NORMAS PROFISSIONAIS DE AUDITOR INDEPENDENTE, em seu artigo nº 1.2.2, letra B:

1.2.2 – Está impedido de executar trabalho de auditoria independente, o auditor que tenha tido, no período a que se refere a auditoria ou durante a execução dos serviços, em relação à entidade auditada, suas coligadas, controladas, controladoras ou integrantes do mesmo grupo econômico:

b) relação de trabalho como empregado, administrador ou colaborador assalariado, ainda que esta relação seja indireta, nos dois últimos anos;

Segue ainda, no art. 1.2.3:

1.2.3 – O auditor deve recusar o trabalho ou renunciar à função na ocorrência de qualquer das hipóteses de conflitos de interesses previstos no item 1.2.2.

CONCÓRDIA S/A –  Corretora de Valores Mobiliários, Câmbio e Commodities é responsável pela operação de alguns dos principais investimentos da ODEBRECHT no mercado financeiro , entre os quais o FIDC – FORNECEDORES ODEBRECHT que tem, segundo a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), Ricardo Augusto Leão Martins (dono da Concórdia), assinando como diretor responsável.

Ambas as empresas mantém contrato de auditoria com Raul Corrêa da Silva, dono da BDO/RCS.

Documento comprovando contratação da BDO/RCS pela corretora Concórdia:

bdo-concordia

Sistema da CVM indica presidente da Concórdia como diretor do Fundo “Fornecedores Odebrecht”

cvm-1

Site da Odebrecht diz que empresa é fundadora e gestora do Fundo “Fornecedores da Odebrecht”

fidc-odebrecht-clientes

Ata que ratificou contratação de Raul Corrêa da Silva, por intermédio da BDO/RCS, pelo Fundo “Fornecedores Odebrecht”

ata-1

ata-2

ata-3

ata-4

Parecer da BDO/RCS, de janeiro de 2017, para as contas do Fundo “Fornecedores Odebrecht”

bdo-odebrecht-2017

Anúncios

Ouça a rádio Rock n’ Gol ao vivo !

março 3, 2017

rockngol-logo-preto

Blog do Paulinho

Coluna do Fiori

Guerra da bandidagem: fundadores da Mancha Verde fazem juramento para “derrubar” matadores do presidente

março 3, 2017

(Ouça o áudio abaixo em que nomes de marginais, como Fred, Thiaguinho, Paulo Preto, Atibaia e Paulo Serdan, são citados, com a promessa da criação de uma “nova Mancha”)

Justiça bloqueia R$ 36,9 mil das contas do Corinthians para indenizar associada maltratada no clube

março 3, 2017

renovação e transparência

Em março de 2014, a Sra. Aparecida Antico ingressou com Ação Judicial contra o Corinthians pedindo reparações morais e materiais após ser destratada em evento realizado no clube.

Um ano depois, a 16ª Vara Civil julgou o pleito procedente, condenando o Timão a arcar com R$ 15 mil em indenizações.

O despacho da juíza Cláudia Longobardi Campana diz que a vítima tinha em seu poder convite para festa que indicava como localização “Ginásio Coberto”, mas, em desconformidade com o propagandeado, os frequentadores eram obrigados a dirigir-se a local descoberto quando da necessidade de utilização dos sanitários.

Foi assim que a Sra. Antico escorregou (na área sem cobertura), quebrou o colo do úmero direito, além de deslocar o ombro, com o agravante do clube ter se negado a atendê-la, de pronto, e a pagar as despesas médicas e hospitalares.

Ainda assim, o Corinthians, em vez de dar por liquidada a fatura, recorreu, e perdeu.

Em consequencia, a dívida mais que dobrou, passando a custar R$ 36.988,00, bloqueados da conta do clube nas últimas semanas, para devida transferência à impetrante do processo.

Guerra da Mancha Verde beneficia o Palmeiras e compromete a CREFISA

março 3, 2017

mancha bandidos

Ontem, o fundador da facção criminosa Mancha Verde, Moacir Bianchi, foi encontrado morto, com mais de 20 tiros deflagrados, vítima de guerra interna de sua própria agremiação.

O blog tem as fotos, mas decidiu não publicá-las.

Por conta disso, a “organizada” decidiu encerrar as atividades, “provisoriamente”.

Tudo indica, porém, que o retorno será difícil.

Em resumo: criminosos da Mancha relutavam em repassar o controle da facção ao famoso grupo que comanda os presídios da Capital, e, depois de áspera discussão entre Moacir a a parte contrária se deu o desfecho conhecido.

O resultado final, fechamento da Mancha, deve ser o caminho natural doutras “organizadas”, a cada dia mais afundadas no mundo da criminalidade.

Beneficiou-se, indiretamente, o Palmeiras e seus torcedores que trabalham, que agora poderão assistir a partidas de futebol em ambiente mais propício, descontaminado de boa parte dessa bandidagem.

Ruim ficou para a CREFISA, que um mês atrás foi flagrada, em troca de apoio político no clube, injetando R$ 1,5 milhão nos caixas dessa gente.

Para manter “esquemas”, dirigentes de clubes trabalharam por agentes de jogadores na CBF

março 3, 2017

cartola

Recentemente, a FIFA proibiu intermediários de manter percentuais de direitos econômicos de jogadores de futebol, limitando o vínculo à posse de agremiações esportivas.

Existia também, até o ano passado, regulamentação da CBF impedindo que este agentes cobrassem mais de 3% de comissão sobre salários e intermediações de atletas.

Na prática, sabemos, nada disso era respeitado.

Em exemplo, o empresário Fernando Garcia dissimulava posse de Direitos Econômicos em empréstimos financeiros ao Corinthians (cobrados sempre na revenda das “mercadorias”), além doutros cobrarem, no mínimo, dez por cento da cada transação.

O jogador Rodrigo Tabata disse ao blog. tempos atrás (exibimos o áudio) que V(W)anderlei(y) Luxemburgo chegou a tomar-lhe 50% do pagamento de luvas, quando ambos mantinham contrato com o Santos.

Em tese, os clubes de futebol, principais prejudicados pela ação destes “empresários”, deveriam ser os primeiros a combatê-los, exigindo regulamentação rígida de seus procedimentos.

Mas não.

Dirigentes das principais agremiações do futebol brasileiro uniram-se aos intermediários e pressionaram a CBF, que, sem oposição, retirou de seu regulamento o teto de 3% para pagamento de comissões, tornado-as agora ilimitadas.

Ou seja, cobra-se o que quiser por quem bem entender.

Todos sabem, os agentes de jogadores somente existem para que dirigentes, a grande maioria, possa embolsar, dissimuladamente, dinheiro de transações de atletas realizadas por seus próprios clubes.

Trump nos tristes trópicos?

março 3, 2017

trump bolsonaro

Da FOLHA

Por REINALDO AZEVEDO

Que Lula tentasse se recuperar dos escombros do PT e da sua própria biografia era, convenham, o esperado. Que tão cedo, réu em cinco processos, voltasse ao jogo eleitoral… Isso só é possível com a contribuição de todos os erros de alguns de seus adversários. Que a demonização da política, comandada pela Lava Jato e pela direita xucra, resultaria, na prática, numa espécie de absolvição precoce do PT, bem, para vê-lo, é preciso ter olhos treinados pela memória e por alguma teoria. Não se aprende a fazer análise política ganhando “likes” no Facebook.

Há dias, em artigo em “O Globo”, o cineasta José Padilha escreveu 27 ditos “enunciados” sobre o que chamou de “mecanismo de exploração da sociedade brasileira”. Título: “A importância da Lava Jato”. Deltan Dallagnol compartilhou o texto nas redes sociais, incluindo, claro!, trecho do Enunciado 22, que exalta “o fato de que uma investigação potencialmente explosiva caiu nas mãos de uma equipe de investigadores, procuradores e de juízes rígida, competente e com bastante sorte.” Faltou chamar de “linda”.

O cineasta vai fazer uma série sobre a operação para a Netflix. Segundo a voz de um de seus diretores, a empresa “reconhece o talento de José Padilha em transformar os eventos atuais ainda em constante evolução em narrativas atraentes, e ele está bem posicionado para documentar este momento importante na história do Brasil”.

Sem dúvida! Então você precisa ler ou reler os 27 postulados. Eles já me foram enviados por esquerdistas, centristas, direitistas, paraquedistas… É o emplastro Brás Cubas da política, que vai aliviar a “nossa melancólica humanidade”. Segundo o autor, “na base do sistema político brasileiro, opera um mecanismo de exploração da sociedade por quadrilhas formadas por fornecedores do Estado e grandes partidos políticos”. Padilha sustenta que “o mecanismo viabilizou a eleição de todos os governos brasileiros desde a retomada das eleições diretas, sejam eles de esquerda ou de direita.”

É o que dizia o Lula do mensalão. É o que diz o Lula do petrolão. Por isso as esquerdas querem financiamento público de campanha. Ah, em 2002, o Apedeuta era ainda mais rigoroso do que Padilha: tonitruava que o Brasil era governado pela mesma elite desde as Capitanias Hereditárias.

No item 21, compartilhado por Dallagnol, lê-se: “Como as leis são feitas por congressistas corruptos, e os magistrados das cortes superiores são indicados por políticos eleitos pelo mecanismo, é natural que tanto a lei quanto os magistrados das instâncias superiores tendam a ser lenientes com a corrupção”.

Nada escapa. A redemocratização foi obra dessa conspiração. É o que sempre sustentou a direita fascista.

O autor vai além: “O Brasil atual está sendo administrado por um grupo de políticos especializados em operar o mecanismo e que quer mantê-lo funcionando.” Logo, entenda-se, o desmonte dessa estrovenga terá de ser feito por pessoas desvinculadas do Executivo, do Legislativo e do Judiciário. Parece-me ser tarefa para procuradores, certo?

Vamos enforcar o último Montesquieu com a tripa do último John Locke.

Segundo o artigo de Padilha, todos os avanços institucionais do país, desde a redemocratização, foram financiados e definidos pelo “mecanismo”. Os comunas de antigamente chamavam isso de “O sistema”. Nem a esquerda nem a direita mais rombudas haviam relido antes a história do Brasil pela ótica exclusiva do crime.

Surgiu uma nova economia política. Em breve, na Netflix.

Ah, sim! Os prestidigitadores já têm a arma mortal contra Lula –caso a Justiça não o condene antes: criar um “Trump dos Trópicos”. Só não põem na conta os tristes trópicos.


%d blogueiros gostam disto: