Anúncios

Archive for 17 fevereiro, 2017

Cresce a adesão ao impeachment de Roberto Andrade no Corinthians

fevereiro 17, 2017

roberto-andrade

Se há uma semana parecia quase impossível virar o placar, no Conselho Deliberativo do Corinthians, até então desfavorável à proposta de impeachment do presidente Roberto “da Nova” Andrade, poucos dias depois muita gente mudou de lado.

Fruto da falta de emprenho do deputado Andres Sanches (PT), que, apesar de, em entrevista, se dizer contrário ao afastamento, pouco ou nada tem trabalhado para manter no cargo aquele que indicou à presidência.

O parlamentar, para “arregaçar as mangas”, exige escolher os nomes que serão indicados a cargos no Corinthians, nos próximos meses, em preparação para as eleições de 2018.

Do outro lado, é incessante o trabalho de Antonio Rachid, secretário do presidente, também funcionário do dono da Kalunga, Paulo Garcia, que assim como o ex-mandatário Alberto Dualib, pedem a todos seus seguidores que votem pela permanência de Andrade.

Esse grupo garante ter, no mínimo, 180 votos, que seriam suficientes para a vitória.

Porém, nos últimos dias, tem crescido a adesão dos que antes eram contrários ao impeachment, muitos deles (a maioria) ligados a Andres Sanches (sejam por inimizade com Roberto ou até mesmo rompimento com o parlamentar).

Entre os oposicionistas, a adesão é quase total, restando alguma aversão ao pedido por conta da participação de nomes repelidos por todos os lados políticos, que almejam projeção no clube, nem todos interessados no bem estar alvinegro.

Hoje é impossível definir, com exatidão, se Roberto Andrade terminará a segunda-feira (20) como presidente do Corinthians, apesar de possuir alguma vantagem, que o trabalho daqueles que lutam pelo impeachment tentará reverter, neste decisivo final de semana.

Anúncios

Ouça a rádio Rock n’ Gol ao vivo !

fevereiro 17, 2017

banner-radio-player

Em tempo: problemas na rede (ao vivo) da rádio Rock n’ Gol inviabilizaram a produção dos podcasts do “Blog do Paulinho” e da “Coluna do Fiori”. Na próxima segunda -feira os programas retornarão à normalidade.

As fraudes cometidas na transferência de Luis Fabiano para o Vasco da Gama

fevereiro 17, 2017

luis-fabiano-2

Fraude documental, alteração de numeração de inscrição, conivência da FERJ, muitas são as irregularidades cometidas na negociação de transferência do atacante Luis Fabiano, da China para o Vasco da Gama.

O BIRA da FERJ, conforme demonstramos em recente matéria, mostra o jogador inscrito para o Campeonato Carioca, mesmo estando vinculado ao Tiajin Quanjian.

https://blogdopaulinho.com.br/2017/02/11/inscricao-de-luis-fabiano-na-ferj-pelo-vasco-e-irregular/

Diz a Lei:

Art. 46 – Somente após a chegada do CTI no sistema TMS e a liberação da CBF condicionada à verificação da documentação enviada pelo clube será possível o registro do atleta com publicação no BID.

Art. 22 – O contrato especial de trabalho desportivo somente será registrado após o pagamento das taxas da CBF, das Federações e da FAAP nos termos do Art. 57 da Lei n. 9.615/98.

Na impossibilidade de inscrever Luis Fabiano, por conta do acordo vigente com os chineses, a FERJ, tudo indica, em fraude, invetou um número de registro CBF para o atleta, burlando o sistema, permitindo, então, a inscrição (como se fosse um jogador novato):

323843.

O número original é: 135687.

Se tivesse utilizado a numeração verdadeira (pessoal, imutável e intransferível), a CBF teria que analisar toda a documentação anexada ao TMS – documento da FIFA obrigatório em traneferências internacionais (no qual o jogador consta ainda como jogador chinês), e, em auferindo a irregularidade, faria o envio do CTI através do mesmo TMS.

A FERJ tem se defendido com a explicação de que trata-se “apenas” de “inscrição” (através de contrato especial de trabalho), não de ‘registro”, o que, ainda assim, estaria em desconformidade com o art. 22 da legislação (exposto em negrito na matéria).

Abaixo, TMS da FIFA (datado das 23h de ontem – 16/02/2017) em que Luis Fabiano consta ainda, oficialmente, como jogador do Tiajin Quanjian, da China:

lf-1

BID da CBF em que Luis Fabiano (com a numeração correta: 135687) consta como atleta da equipe chinesa:

lf-2

Número de inscrição de Luis Fabiano na CBF quando atuava no São Paulo (o mesmo de agora – imutável)

lf-4

Numeração fajuta de Luis Fabiano (datada de 11/02/2017) no BIRA da FERJ – do qual o jogador foi inscrito, em irregularidade jurídica, pelo Vasco da Gama:

lf-3

luis-fabiano

Hoje, se de fato as notícias que dão conta da rescisão de Luis Fabiano com o futebol chinês se confirmarem, a FERJ deverá retirar o número fajuto do BIRA, sob alegação de “erro”, inserindo o registro oficial da CBF.

O desvio de conduta, porém, amplamente documentado pelo blog, com a finalidade de burlar o prazo de inscrição do Campeonato Carioca, já foi cometido, e, se questionado por adversários, poderá gerar consequencias graves ao Vasco da Gama.

Blog do Paulinho vence Roberto Cavalo na Justiça

fevereiro 17, 2017
Cavalinho e Roberto Cavalo

Cavalinho e Roberto Cavalo

O treinador Roberto Fernando Schneiger, popularmente conhecido como “Roberto Cavalo”, ingressou, em 11 de janeiro, com ação judicial contra o Blog do Paulinho, acusando-nos de “calúnia”, “injúria” e “difamação”.

A motivação do procedimento se deu por conta da publicação da matéria “Esquema de Roberto Cavalo teria embolsado R$ 130 mil de empresário para esquentar jogador no Criciuma“, que resultou na demissão sumária do profissional.

Cavalo, hoje, infelicita o Oeste de Itápolis, em São Paulo.

A Justiça, porém, rejeitou o processo:

“REJEITO a queixa-crime ofertada contra PAULO CEZAR DE ANDRADE PRADO, com fundamento no art. 395, inciso III, do Código de Processo Penal.”

Diz a Lei:

Art. 395. A denúncia ou queixa será rejeitada quando: (Redação dada pela Lei nº 11.719, de 2008). 

III – faltar justa causa para o exercício da ação penal. (Incluído pela Lei nº 11.719, de 2008).

Ou seja, não há crime na publicação, apenas o livre exercício da profissão de jornalista, que tem por objetivo único informar ao público detalhes que muita gente gostaria de deixar escondidos nos bastidores do esporte.

O Blog do Paulinho é defendido pelo escritório da Dra. Danubia Azevedo.

Empresa de amigo do vice-presidente cobra calote de R$ 5 mil do Corinthians na Justiça

fevereiro 17, 2017

ba-de-souza

Na última quarta-feira (15), a empresa “B A de Souza”, do ramo de comércio e concerto de lonas, ingressou na Justiça para cobrar calote do Corinthians em duplicata.

O valor: R$ 5 mil.

O proprietário é Bento Antonio de Souza, amigo pessoal do vice-presidente André Negão.

Não por acaso a empresa de localiza no bairro da Vila Maria, reduto do dirigente, local em que mantém ainda, apesar de desmentir, diversos pontos de comércio da “sorte” e assemelhados.

O voto de Thiago Pereira na CBDA

fevereiro 17, 2017

thiago-pereira

Por ALBERTO MURRAY NETO

Em uma manobra que não consultou os atletas, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (“CBDA”) nomeou a sua “Comissão de Atletas”. Colocou como presidente da plêiade o festejado nadador Thiago Pereira. Com isso, ele adquire direito de voto  nas eleições presidenciais na CBDA.

Em decorrência de seu competente trabalho e perseverança, Thiago Pereira está consagrado como atleta. Hoje, seu prestígio é tamanho que precisa muito pouco da CBDA para sua carreira. Seus patrocínios independem da chancela da CBDA.

Da forma em que foi escolhido presidente da Comissão de Atletas e em vista de recentes declarações que deu, suspeita-se que o voto de Thiago Pereira nas eleições para a CBDA será para a chapa da situação. Thiago tem que se lembrar que não vota por ele, mas pelos atletas das quatro modalidades olímpicas aquáticas. A maior parte deles, jovens que desejam mudanças nos rumos que comandam essas modalidades. Se Pereira é, hoje, um atleta vitorioso, deve ter em mente que a maioria ainda não o é. E que para chegar lá, esses ainda são os que necessitam de estrutura moderna e transparente na CBDA.

Thiago Pereira deve refletir muito seu voto. Avaliar se deseja estar ao lado da atual gestão da CBDA, ou se quer ser reconhecido entre aqueles que promoveram mudanças que realmente representam os anseios de quem ele, na Comissão de Atletas, representa.

Os atletas estarão de olho no voto de Thiago Pereira.

Maracanã abandonado

fevereiro 17, 2017

A receita para destruir um país

fevereiro 17, 2017

temer olimpíadas

Da FOLHA

Por VLADIMIR SAFLATE

Há três formas de destruir um país. As duas primeiras são por meio da guerra e de catástrofes naturais. A terceira, a mais segura e certa de todas, é entregando seu país para economistas liberais amigos de operadores do sistema financeiro.

Em todos os países onde eles aplicaram suas receitas de “austeridade”, a recompensa foi a pobreza, a desigualdade e a precarização.

Alguns países, como a Letônia, vendido por alguns como modelo de recuperação bem-sucedida, viu sua população diminuir em quase 10% em cinco anos, algo que apenas as guerras são capazes de fazer.

Ou seja, o preço para essa peculiar noção de sucesso foi expulsar quase 10% da população para refazer suas vidas em outros países.

No Brasil, não faltou economista a eleger, meses atrás, o Espírito Santo como um modelo de ajuste econômico e responsabilidade fiscal. O mesmo Espírito Santo que tem números piores do que média nacional (retração de 13,8% até o terceiro trimestre de 2016) e que há algumas semanas simplesmente entrou em colapso, virando uma zona de anomia em meio à greve de policiais. Não poderia ser diferente.

No mundo desses senhores não existe gente, não se levam em conta reações populares a medidas econômicas, muito menos experiências de sofrimento social e revoltas políticas contra processos de pauperização vendidos como “remédios amargos, porém necessários”.

Outros tantos desses economistas encheram as páginas de jornais e tempo de televisão para levar a sociedade brasileira a acreditar que, conduzindo Michel Miguel à Presidência, a “confiança” dos mercados daria o ar de sua graça e, com ela, viria a estabilidade.

Bem, nos últimos dias, o Banco Mundial divulgou uma análise segundo a qual espera que, até o final do ano, 3,6 milhões de pessoas voltem à pobreza no Brasil. Para ser mais claro, 3,6 milhões de pessoas verão seus rendimentos caírem para menos de R$ 140 por mês.

Isso em um cenário no qual o Brasil tem a maior taxa de capacidade ociosa da indústria dos últimos 70 anos, já que não há mais compradores para seus produtos.

Se somarmos a isso a reforma da Previdência, a limitação de investimentos estatais para guardar dinheiro a fim de pagar os mais de R$ 400 bilhões em serviços da dívida pública, a proposta de terceirização irrestrita e o colapso do sistema brasileiro de serviços públicos teremos um cenário simples: o Brasil foi destruído pelas políticas implementadas desde a guinada neoliberal do governo Dilma. O próximo passo será a imigração em massa dos que puderem, normalmente os mais bem formados.

É claro que haverá aqueles que dirão que isso é “herança maldita” de políticas econômicas esquerdistas. Mas chamar governos que nunca foram capazes de propor a taxação progressiva de rendas e riquezas, a transferência paulatina da detenção dos meios de produção para as mãos dos trabalhadores e a limitação dos ganhos do sistema financeiro de esquerdista é algo da ordem do simples jogo de palavras.

Enquanto isso, uma parcela da população aplaude tudo, já que acredita ficar imune à degradação econômica nacional.

Essa mesma parcela julga-se hoje detentora de alguma forma de superioridade moral que faria calar os descontentes com este governo.

No entanto, que as coisas sejam ditas de forma clara: eles nunca estiveram nem estão, de fato, preocupados com julgamentos morais.

Os mesmos que gritam contra corruptos do antigo governo sempre votaram e continuaram votando em políticos notoriamente corruptos, continuaram calados diante de casos gritantes de corrupção neste governo, como ficaram calados quando, nesta semana, o STF publicou uma decisão inacreditável e criminosa para permitir o gato Angorá, vulgo Moreira Franco, com suas citações na Lava Jato, ocupar um ministério.

Nada estranho, já que o problema deles nunca foi a corrupção, e sim a luta contra políticos com os quais eles não se identificam. O discurso contra a corrupção era apenas uma grande farsa, senão produziria ações simétricas contra toda classe política brasileira.

Julgamentos morais não aceitam usos estratégicos. Quem usa moral de forma estratégica é um “moralista da imoralidade”. Na verdade, essas pessoas são atualmente cúmplices de um governo cuja única preocupação é se blindar e escapar da cadeia. Até porque, Michel Miguel e os seus não governam, eles têm coisas mais urgentes para fazer.

Enquanto tentam salvar a própria pele, terceirizaram o Brasil para gestores da catástrofe.


%d blogueiros gostam disto: