Anúncios

Archive for 1 fevereiro, 2017

Jadson e Drogba: malandragens da diretoria do Corinthians

fevereiro 1, 2017

Vergonha

Ontem, data limite da janela internacional de transferência de atletas, o Corinthians confirmou a contratação de Jadson e a recusa de Drogba em jogar no clube.

Em ambos os casos, a diretoria utilizou-se de malandragem para “informar” a torcida.

http://www.corinthians.com.br/noticias/ver/61813#.WJEuWBsrKUk

Disse ter acertado o vínculo de Jadson (33 anos) por dois anos, com prorrogação automática de contrato para o terceiro ano se o atleta jogar, no mínimo, 50% das partidas no ano anterior.

Qual é a chance deste jogador, que chegará para ser titular, não fazê-lo, no contexto de estar inserido em elenco tão limitado ?

Pior ainda foi a patética nota oficial para explicar o desfecho do caso Drogba.

Agradecer ao marfinense por ter recusado o Corinthians e tentar convencer (com estas palavras) que o jogador transformou-se em mais “um louco do bando” após conversar com Roberto Andrade, é de uma idiotice tacanha, além de subjugar a inteligência do torcedor.

Sem contar que o termo utilizado é de autoria de Luis Paulo Rosenberg, a quem o presidente alvinegro odeia.

Anúncios

Rádio Rock n’ Gol, ao vivo

fevereiro 1, 2017

banner-radio-player

Blog do Paulinho

Em recurso, São Paulo suspende pagamento de R$ 4,6 milhões de IPTU

fevereiro 1, 2017

morumbi-antigo.jpg

Recentemente, a Prefeitura ingressou com ação de execução contra o São Paulo, cobrando-lhe IPTU de 2014, que supostamente o clube não teria quitado.

R$ 4,6 milhões.

Em primeira instância, a Justiça ordenou o pagamento, mas o Tricolor, em recurso, reverteu a decisão.

O clube alega estar isento da taxa porque o imóvel (estádio do Morumbi) estaria inserido em Lei que desobriga a cobrança, por se tratar de utilização para fins esportivos, enquanto a Prefeitura nega a elegibilidade do benefício.

Com o pagamento, por hora, suspenso, o mérito da ação será decidido, posteriormente.

Por irregularidade, associado pede anulação de aprovação das contas passadas do Corinthians

fevereiro 1, 2017
Ciborg

Ciborg

O associado do Corinthians, Rolando Wohlers, o Ciborg, logo após o segundo adiamento de reunião do Conselho Deliberativo que previa votação da Previsão Orçamentária alvinegra para o período 2017, irregular por não estar adequado ao Profut e por não conter parecer do Conselho Fiscal, em contato com o blog, demonstrou toda a sua indiganação:

“A irresponsabilidade do Presidente do Conselho Deliberativo (Guilherme Strenger), que marca reunião para aprovação de contas à margem da lei, sabedor que membros do conselho fiscal estavam irregulares no cargo, e seus substitutos sem o período suficiente para avaliação dos documentos para posterior parecer… tal desrespeito ao tempo de avaliação envergonha a associação Corinthians”

Ciborg pede, diante do quadro, a anulação da aprovação do Balanço de 2015:

“(…) a aprovação do balanço de 2015, com parecer irregular do agora afastado Conselheiro Fiscal (era funcionário do Presidente na vida privada) tem que ser anulada, evitando recurso jurídico”

“(…) a irresponsabilidade do Presidente do Conselho, neste tema, também tem que ser avaliada, sendo ele membro do CORI, que é orgão fiscalizador do Corinthians, não pode cometer erro de marcar reunião do Conselho Deliberativo no mesmo dia do CORI”

“(…) estes atos geraram a reação, como aconteceu nas duas últimas reuniões (que foram suspensas), resultando em constrangimentos, nos mostra que temos bons corinthianos no corpo diretivo de nosso clube, que não permitiram as mazelas de um passado recente”

Nos próximos dias o associado deverá interpelar, oficialmente, os poderes alvinegros com seu pedido de anulação de aprovações de contas retroativas do Corinthians, segundo ele, amparadas em pareceres de um órgão fiscalizador que não se apresentava, à época, em situação de regularidade.

CREFISA doa R$ 1,3 milhão para carnaval da Mancha Verde

fevereiro 1, 2017
Uma linda mulher

Uma linda mulher

Não será apenas com a “boca-livre” de hoje, em que 400 conselheiros do Palmeiras poderão, ou não, vender suas honras em troca de um bom jantar e taxi gratuíto (ida e volta), fornecidos em hotel de luxo que a CREFISA vai gastar quantia substancial no intuído de promover a candidatura da esposa de seu proprietário, tratada nos bastidores do clube como “uma linda mulher”, ao conselho palestrino (mesmo estando em situação irregular, segundo estatuto.

Matéria publicada hoje, no UOL, da conta de que a empresa doou (via Lei Rouanet), R$ 1,3 milhão à Mancha Verde, supostamente a serem utilizados no carnaval.

O procedimento remete ao ocorrido, anos atrás, quando a MSI (acusada pelo MPF de lavar dinheiro da Máfia Russa), concedeu R$ 1 milhão aos Gaviões da Fiel em troca de apoio à sua gestão no Corinthians, também sob pretexto carnavalesco.

A aproximação de semelhantes (CREFISA e MANCHA), precisa servir de alerta para o que deverá acontecer no Palmeiras, futuramente, se o clube continuar abrindo as portas para qalquer tipo de dinheiro.

BNDES, Flamengo e algumas coincidências

fevereiro 1, 2017

eduardo bandeira e cbf

Em dezembro de 2012, Eduardo Bandeira de Mello, ex-executivo do BNDES (banco investigado, recentemente, em CPI e na Lava-Jato), foi eleito presidente do Flamengo.

Um mês depois (janeiro de 2013), a Pegeout teve liberado R$ 154 milhões em empréstimo na instituição.

Ainda no mesmo mês, a referida fabricante decidiu patrocinar a camisa do Flamengo.

Abril de 2015: BNDES libera R$ 3,3 bilhões para a FIAT.

Dias depois, a marca JEEP (fabricada pela FIAT) fecha acordo de patrocínio com o rubro-negro.

Coincidências ?

O histórico do mandatário flamenguista, partícipe de uma gestão do BNDES investigada por corrupção, além de beijador de mãos de Marco Polo Del Nero, mesmo tendo pedido sua cabeça, dias antes, inspira, no mínimo, reflexão sobre o assunto.

Em desespero, aluna de Enfermagem, prejudicada pela UNINOVE, pede socorro

fevereiro 1, 2017

cassia-uninove

Por CÁSSIA APARECIDA HORIUTI

Meu nome é Cássia Aparecida Horiuti, tenho 34 anos, técnica em enfermagem há anos e atualmente graduando em Enfermagem na Universidade Nove de Julho (Uninove), unidade Vila Maria, até Dezembro de 2016.

Por dificuldades financeiras acabei atrasando as mensalidades do último semestre de 2016.

Já havia feito negociação do primeiro semestre através de cheques, que com muito, muito sacrifício mesmo, consegui pagar.

Agora, estou vendo o meu sonho ir pelo ralo, e o pior é que não se trata somente de um sonho e sim de uma necessidade, a única possibilidade que tenho de conseguir um emprego melhor e de ter uma vida mais digna.

Esse sonho não vai se concretizar porque desde janeiro estou tentando realizar um novo acordo com a faculdade, mas sem sucesso.

No primeiro contato que fiz através da “central do aluno”, atendimento on line da Uninove, o atendente passou a informação de que as condições aceitas para o acordo são cheque ou cartão de crédito.

Expliquei que não tenho mais cheque, nem um cartão com limite de R$ 4.000,00 (valor da pendência).

Pedi, então, que fizessem em boleto, mas o atendente disse ser impossível.

Fiz uma reclamação no site “Reclame Aqui” e um outro atendente entrou em contato comigo e me orientou a ir até a Secretária da UNINOVE e conversar com o responsável financeiro ou reitores, que fizesse uma carta contando os motivos pelos quais atrasei as mensalidades.

Chegando na secretária, a responsável nem sequer olhou na minha cara.

Observando o computador, disse:

“Não tem o que fazer, o acordo disponível é o que está no sistema, só aceitamos cheque ou cartão, não fazemos boleto”.

Então pedi para falar na reitoria, e a mesma disse que a reitoria não faz atendimento e nem aceita carta de alunos.

Na verdade, estou desesperada e até o momento tentando encontrar uma solução para voltar aos estudos, de não ter que abandonar este sonho.

Estou no quinto semestre (são oito semestres no total).

Com muita dificuldade, sacrifícios e dedicação consegui chegar até aqui, como minhas notas (desempenho) não me deixam mentir.

Mas infelizmente, devido à falta de flexibilidade da instituição em ajudar um aluno não consigo encontrar outra solução, pois as duas únicas formas de negociação não fazem parte da minha realidade.

Moro em uma casa alugada, com a minha mãe de 68 anos, do lar, e que depende de meus esforços, para tudo.

Não tenho quem me ajude.

A única ajuda que peço é um boleto para poder continuar estudando, mas isso parece impossível.

Me desculpe, mas precisava desabafar, pois não acho justo o que estão fazendo.

Não custa nada darem uma outra opção para os alunos, afinal eu quero pagar, não estou me negando, só não tenho condições de fazer do jeito que querem.

Mas pelo jeito o lema “Uninove é 10” trata-se apenas de termo publicitário, porque não estão nem aí para a educação e para o futuro dos alunos.

cassia-uninove-2

Paulo Autuori detona CBF e Marco Polo Del Nero

fevereiro 1, 2017

autuori

Num mundo (do futebol) em que pessoas relevantes, em regra, se omitem perante a sacanagem (mesmo quando contrários às práticas) para não perder vantagens proporcionadas pela aproximação com os poderosos, as declarações do treinador Paulo Autuori, em entrevista à FOLHA, soam como música aos ouvidos de quem anseia por mudanças.

Questionado se aceitaria trabalhar na CBF, respondeu:

“No futuro, gostaria de participar de um grupo que poderia ajudar, pensar, fortalecer o futebol brasileiro. Com essa direção da CBF, quero distância. Conceitualmente, existe uma divergência total. Temos pessoas habilitadas para ser presidente da CBF. O que temos que ter ali é a figura de um ex-atleta preparado, capacitado e que possa representar o país no exterior.”

Falou ainda sobre Marco Polo Del Nero (e Marin), lembrando seus problemas judiciais:

A minha crítica à CBF é que ela não pensa e não trabalha o futebol brasileiro como deveria. O problema dela é seleção. Ela acha que se a seleção vai bem, está tudo bem. Mas não está, está tudo horrível. O Tite está fazendo um bom trabalho, mas isso não mudou em nada o nosso futebol.

Se pensarmos em desenvolver um trabalho benfeito, patrocínio não vai faltar. Não falta agora, com os escândalos que têm, com um presidente que não pode sair do país e o outro que está preso nos EUA. Essa é a nossa realidade.

Nós do futebol temos que ter a coragem de falar as coisas como devem ser faladas. Todos nós temos uma dívida grande com o esporte. Somos o que somos em virtude do que conquistamos no futebol.

Autuori, vale a pena deixar claro, não se trata de profissional do futebol em final de carreira, mas sim dos mais afamados da profissão, sempre lembrado em listas de possíveis treinadores, não apenas para a Seleção Brasileira, mas também dos principais clubes nacionais o que, por si (pelo que pode vir a perder), concede ainda mais força à sua manifestação.


%d blogueiros gostam disto: