O Rábula

No impeachment de Dilma, Lewandowski atua como mordomo conferindo a despensa

No impeachment de Dilma, Lewandowski atua como mordomo conferindo a despensa

Do ALERTA TOTAL

Por ENIO MAINARDI

Essa palavra, rábula, é um jeito depreciativo de classificar um advogado. O mesmo que chamá-lo de advogadozinho. O Lewandovski, vamos deixar logo claro, é um rábula – em minha leiga opinião. Mas ele, ao mesmo tempo, era o presidente do STF.

O ministro pode odiar ser chamado assim, uma vez que se considera acima das críticas, uma Excelência de altos méritos e saber jurídico. Mas sabe-se que ele subiu ao pináculo do Supremo por indicação da mulher do Lula, a dona Marisa, mulher do Lula, numa manobra de comadres. Informação essa que ele nunca desmentiu.

Os rábulas costumam praticar chicanas. Essa é outra palavra que arrepia os advogados. Chicana é um jeito de manobrar a justiça, maliciosamente, no limite da ética. O chicaneiro anda pelas bordas da letra da Lei. Ele se coloca à salvo de ser punido, porque sempre age com grandes espertezas. Mas é mal visto pelos advogados respeitáveis.

A atuação do Lewandovski no julgamento do impeachment da Dilma permite que o chamemos de rábula chicaneiro. Ele salvou a Dilma de ser condenada, como está na Constituição, quando ela deveria ter perdido o direito de ser novamente eleita. Ou sequer ser nomeada para um cargo público. Essa decisão fez tremer os alicerces da Justiça. Partidos, pessoas e instituições clamam agora vigorosamente contra essa…chicana. Onde? No STF.

E quem vai julgar esses pedidos de revogar a injustiça cometida? Pois é. O Lewandovski, que no final – ironicamente – deverá ser o juiz que julgar a si mesmo.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.